Na Outra Margem 06/04/11

Há pouco mais de um ano, tivemos a rara ocasião de ouvir um concerto monográfico do compositor seiscentista Frei Fernando de Almeida - um nome ausente da bibliografia sobre história da música portuguesa mas que agora surge como um dos mais importantes do nosso maneirismo sacro. Por sugestão do musicólogo João Pedro d'Alvarenga, tem vindo a ser interpretado, desde o início de 2010, pelo grupo Capella Patriarchal, com direcção artística de João Vaz - que volta a apresentar a Missa para Domingo de Ramos e os Responsórios de Quinta-Feira Santa, no dia 16 de Abril, às 21h00, na Igreja de São Nicolau, em Lisboa, num concerto em que será lançado o CD (ed. Althum) com essas mesmas obras. João Vaz e o também organista Sérgio Silva, que integra a Capella Patriarchal, estão esta semana Na Outra Margem, para uma conversa sobre este CD e o seu compositor, mas também sobre Pedro de Araújo, cuja música para órgão foi tema do Mestrado de Sérgio Silva, e sobre outro disco que João Vaz gravou e estará em breve disponível - com obras de um dos manuscritos mais importantes da música portuguesa para órgão do século XVII, o chamado Livro de Órgão de Frei Roque da Conceição.

Para ouvir Na Outra Margem, esta 4ª feira, 06/04, às 18h05, em 90.4 fm ou em www.radioeuropa.fm, e a partir de 5ª feira em podcast.

8 comentários:

Luís C. F. Henriques disse...

Há a mencionar que das Lamentações, pelo menos o set para Quinta-Feira Santa, está disponível em partitura na colecção Mapa Mundi, edição da musicóloga inglesa Bernadette Nelson. Esta tem estudado este compositor cuja obra se encontra representada no espólio de Vila Viçosa. As Lamentações foram gravadas em CD, numa edição muito boa pela A Capella Portuguesa, grupo dirigido pelo musiólogo Owen Rees.

As Lamentações (para 2 coros SATB), apesar de na minha opinião virem no seguimento da obra de um João Lourenço Rebelo ou até mesmo de Diogo D. Melgás (pelo tipo de progressões melódicas-cromatismo)são de uma profundidade e complexidade tremendas. Sem dúvida uma redescoberta de muitíssimo valor.

Manuela Paraíso disse...

Obrigada pela útil informação, caro Luís, e pelos seus comentários sempre atentos.

João Pedro d'Alvarenga disse...

Por uma questão de precisão: não fui eu quem «descobriu» o compositor Fernando de Almeida. Apenas recomendei ao João Vaz que o incluísse no repertório da Capella Patriarchal e que o gravasse. E, como justamente observou o Luís Henriques, não é a primeira vez que a música deste compositor é ouvida «nos tempos modernos». A propósito do comentário do L. Henriques: as Lamentações de Fr. Fernando de Almeida não podem vir «no seguimento» da obra de Diogo Dias Melgás, pelo simples facto de este último compositor ser de geração posterior à de Fernando de Almeida...

Manuela Paraíso disse...

Obrigada pela rectificação, caro João Pedro, o texto já foi alterado.

Luís C. F. Henriques disse...

Professor, obrigado pela correcção. Reformulo: mencionei (não me fiz compreender) "no seguimento" não cronologicamente, mas sim pela ordem do que conheço (Rebelo-Melgás-Almeida).
É sempre bom ler estes reparos musicológicos. Estava a constactar as datas no Grove... num "micro" artigo. É pena.

Associazione Culturale Luís de Camões disse...

A nossa Associação quer promover, reforçar e ampliar o intercâmbio de culturas entre Itália e Portugal. Queremos estabelecer uma ponte de amizade entre os dois paises, e a música de Fernando de Almeida è, de facto, uma ponte entre Itália e Portugal!
Muitos parabéns por este magnífico blog!

Fernando de Almeida e a Capella Patriarchal no nosso blog:
http://associazionecamoes.blogspot.com/2011/04/fernando-de-almeida-responsorios-de.html

Manuela Paraíso disse...

Muito obrigada pelas amáveis palavras, parabéns pelo trabalho desenvolvido pela vossa Associação.

Luís C. F. Henriques disse...

Sugiro o nome de Vicente Lusitano, talvez [um pouco rebuscadamente] o grande músico português do século XVI e que tem sido consecutivamente ignorado.